Em entrevista ao programa “Sunday Morning”, da CBS nessa semana, Jeremy falou sobre seu personagem em “Terra Selvagem”, contou algumas histórias de quando começou sua carreira e ainda mostrou alguns pedaços de sua casa, com direito a um trechinho de “Garden of Stone”, música que ele compôs para a filha, Ava.

Confira a entrevista legendada:

 

 

 

 

Em entrevista ao site ScreenCrush, Jeremy Renner falou sobre “Terra Selvagem”, “Vingadores” e até sobre seu possível retorno à franquia de “Missão Impossível”. Confira:

 

O personagem que você interpreta em “Terra Selvagem” é bem mais quieto e introspectivo que os outros. O que o fez aceitar esse papel?

Acho que foi a complexidade interna do personagem que me fascinou. No começo, achei que ele seria um cara durão, mas descobri bem rápido que o maior desafio seria controlar as emoções que apareciam em certas cenas. E eu queria deixar claro, no fim do filme, o processo de cura pelo qual ele passa. Então ao invés de ser uma coisa rápida, virou um desenvolvimento lento das emoções dele através do filme e isso foi um ótimo desafio.

 

Essa é a primeira vez que Taylor Sheridan trabalha na direção, mas ele tem experiência como ator. Isso influenciou na maneira como ele te dirigiu?

Eu não sei. Cada ator trabalha de um jeito diferente. Talvez ter essa experiência ajude, mas acho que é mais a perspectiva que ele tem, a forma como ele ouve as pessoas e o jeito de ser bem específico sobre o que ele quer que fizeram disso uma experiência tão boa.

 

Apesar de ser um homem branco, Cory tem uma família nativo americana e é próximo das outras pessoas na reserva. Você estudou sobre a população de Wind River?

Sim, eu pesquisei o máximo que eu pude e acho que mesmo assim jamais conseguirei entender tudo o que eles representam. Mas consegui entender como, quando e porque aquele único homem branco é permitido na reserva. Ele é respeitado e cuida do lugar, então acho que é um caso de respeito mútuo.

 

Eu estive pesquisando sobre a reserva e não imaginava que a taxa de crimes por lá era tão alta. Você sabia disso antes das gravações?

Não, era uma informação nova. É algo mais “personalizado”, porque você está contando uma história em particular ao invés de uma estatística, é sobre a perda da minha filha e da filha do meu amigo e como lidar com isso.

 

Seu personagem é um especialista em trilhas e um caçador. Você passou muito tempo aprendendo a seguir animais na floresta?

Um pouco, mas não muito. Eram mais informações teóricas sobre como achar os animais, sobreviver na floresta e o clina, que não era algo novo para mim. Então eu estava até confortável para tentar entender o trabalho dele. Não o trabalho no papel, mas a maneira que Cory usava aquele trabalho como uma forma de escape, mesmo sem perceber, enquanto ele lidava com o luto. Ele precisava ficar ocupado.

 

O frio e o clima são praticamente personagens nesse filme, como foi gravar nessas condições.

Foi ótimo! Como você disse, são personagens também e influenciam as decisões e a atitude de todos, não é como filmar em um estúdio fechado, é algo real. Nós gostamos disso, mas foi difícil para a equipe navegar por ali, manter a neve limpa e levar e trazer os equipamentos o tempo todo. Foi muito difícil, então tiro o chapéu. Para nós, especialmente para mim, eu estava em um snowmobile metade do tempo ou com os cavalos.

 

Você parece preferir personagens habilidosos manualmente. O quão bom você precisa ser para fingir ser como eles nas telas?

Acho que você precisa ficar confortável com a arma e saber como usá-la. Você não precisa ser um ótimo atirador para parecer um ótimo atirador. Eu precisei treinar um pouco com o tipo de rifle que usei no filme, que foi algo que eu não estava familiar, então levei um tempo com isso.

 

É mais difícil atirar com um rifle ou com um arco e flecha?

Arquearia é mais difícil, tem muitos fatores que levam ao erro.

 

 

Você e Elizabeth estão na franquia dos Vingadores, certo? Qual foi a maior diferença entre trabalhar com ela nesses filmes?

Ah, no caso de Terra Selvagem, é algo mais íntimo e colaborativo, onde nós tentamos dar uma voz para contar aquela história. E eles são protagonistas, então tem mais coisas a se fazer.

 

Vocês tem muitas cenas juntas em Guerra Infinita?

Ah, não sei como vai ser a edição, nunca se sabe.

 

Tem muitos personagens ao mesmo tempo nesses filmes. Com quantos atores você contracena?

Eu também queria saber. [Risos]. Ainda tem muitas cenas a serem gravadas.

 

Você achaque veremos mais sobre o Gavião Arqueiro nesse filme?

Vocês verão mais de muitos personagens. Espero que do Gavião arqueiro também, veremos.

 

Tinha um boato rolando há um tempo atrás sobre uma aparição do Gavião Arqueiro em “Homem Formiga e a Vespa”. Isso pode acontecer?

Eu não sei de nada sobre isso.

 

Também li que você não estará em “Missão: Impossível 6”, o que é triste. Você sabe qual será o futuro do seu personagem?

Sim, é muito chato, mas Vingadores 3 e 4 estão sendo filmados sem parar. Isso tomou muito minha agenda e minha decisão já estava tomada.

 

Você acha que Brandt pode aparecer nas sequencias da franquia, caso elas aconteçam?

Eu espero que sim! É um personagem divertido e uma franquia ótima. Vamos ver, sei que eles estão filmando o sexto filme agora, veremos o que acontecerá no futuro.

 

“Terra Selvagem” estreia no Brasil dia 31 de Agosto e “Vingadores: Guerra Infinita” chega por aqui em 26 de Abril de 2018.

 

 

Jeremy compareceu ao “Live with Ryan and Kelly” essa semana e deu uma pequena entrevista onde falou sobre “Terra Selvagem” e seu acidente durante as filmagens de “Tag”.

Confira a entrevista legendada:

Em entrevista ao programa Good Morning America (02/08), Jeremy e Elizabeth Olsen falaram sobre as filmagens de “Terra Selvagem”, tentaram não soltar nenhum spoiler de “Guerra Infinita” e Jeremy deu detalhes sobre o acidente no set de “Tag”, onde ele quebrou os braços.

Confira a entrevista legendada: